3.4.13

Poema de fim de noite

... e na tela escura do velho computador
eu escrevo as minhas últimas palavras
desta noite

Era futura presenteia remota dor
neste poema que agora me encara
feito flor

Desabrochando por um pouco de amor
a minha flor consome a Lua clara
e exala o aroma da sua prata
e conserva nas pétalas a cor
da saudade do Sol que se foi

Bonita esperando do dia o calor
pétala de prata na brisa da estrada
traz bonança e serena calma
pra esperar da estrada o sabor
do teu beijo a caminho da minha alma...

Nenhum comentário:

Postar um comentário