3.4.13

As Estruturas

Toda criança procura uma Ciência
Toda Ciência procura uma Filosofia
Toda Filosofia procura uma Arte
Toda Arte procura a sua criança

Pecado

Ciência

“O padre Bartolomeu Lourenço, sombrio, sentava-se no mocho, e aí ficava horas. De vez em quando parecia rezar, mas nunca ninguém pôde compreender as palavras que murmurava nem a quem as dirigia. Deixou de os ouvir em confissão, por duas vezes que Baltasar, a isso se sentindo obrigado, fez vaga menção a pecados que, por se acumularem, vão esquecendo, respondeu que Deus vê nos corações e não precisa de que alguém absolva em seu nome, e se os pecados forem tão graves que não devam passar sem castigo, este virá pelo caminho mais curto, querendo o mesmo Deus, ou serão julgados em lugar próprio, quando o fim dos tempos chegar, se entretanto, as boas acções não compensarem por si mesmas as más, também podendo vir a acontecer que tudo acabe em geral perdão ou castigo uni-versal, apenas está por saber quem há-de perdoar a Deus ou castigá-lo.”
(SARAMAGO, José. Memorial do Convento, p. 183. 17 ed. Rio de Janeiro; Bertrand Brasil, 1996. 360p.)

Filosofia

O Pecado é um mecanismo cujo funcionamento consiste em fazer o indivíduo sentir-se culpado pelos atos julgados maus. Então, o indivíduo pede perdão a "Deus", procurando livrar-se da culpa transferindo-a a “Ele”, e no seu pedido de perdão acusa inconscientemente "Deus", como "Criador", por ter errado. E nisto instala-se um moto-perpétuo de que o indivíduo se ocupe para não pensar na merda que está fazendo.

Arte

Pai nosso que estais
sabe Deus onde
Perdoai a nossa ganância
Perdoai os nossos excessos
a nossa comida desperdiçada
nossos revólveres possessos
livrai-nos da ignorância
escalpelai, ó Pai sem nexo,
a nossa face disfarçada

Nenhum comentário:

Postar um comentário