3.4.13

O sonho obscuro das princesas

Do fundo no mato escuro
vêm os sons da natureza
Que face ocultas no teu furo
que face de matéria negra?

Os grilos que agora embalam
o sono doce da princesa...
... não é suave o que eles falam...
é o agudo da noite espessa!

Ali nenhum homem entra
sem temer o seu futuro
O futuro ali não pensa

Ali no breu da mata densa
o passado é todo puro
feito fruto em planta pensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário